AROMATERAPIA | CONHECENDO OS ÓLEOS ESSENCIAIS

Aromaterapia

AROMATERAPIA | CONHECENDO OS ÓLEOS ESSENCIAIS
Por Sara Matos | Psicóloga e Aromaterapeuta

A aromaterapia trabalha, principalmente, com os óleos essenciais para alcançar equilíbrio e bem estar físico e emocional.

O que são óleos essenciais?
O termo “óleo essencial” vem da contração do nome “óleo quintessencial”, uma alusão ao fato de que acreditava-se que a planta era a combinação entre os quatro elementos (fogo, terra, água e ar) e um quinto chamado quintessência, que seria a alma ou força vital da planta. Por isso, o óleo essencial muitas vezes é chamado de “a alma da planta”.

Hoje em dia, bem longe de ser considerado a “alma” sabemos que o óleo essencial é, na verdade, uma parte física minúscula da planta formada por uma combinação complexa de compostos químicos (algumas chegam a ter até 300 compostos!) voláteis que tem função específica na sua preservação e proteção.

É fácil demonstrar a existência dos óleos essenciais para qualquer pessoa. Sabe quando você vai comer uma tangerina e, na hora de tirar a casca, saem umas gotículas aromáticas que, se caírem no seu olho, ardem? Pois bem, isso é o óleo essencial da tangerina que está presente em sua casca.

De onde são extraídos?
Os óleos essenciais são extraídos de partes distintas das plantas, dependendo de como cada uma delas desenvolveu esse mecanismo de defesa. Eles podem ser obtidos a partir das:
– Raízes e rizomas: vetiver, gengibre e tumérico
– Caule, casca e madeira: cedro e palo santo
– Sementes: cardamomo e cenoura
– Resinas: sangue de dragão, copaíba e mirra
– Folhas: hortelã-pimenta, cravo (folha) e citronela
– Flores: gerânio, camomila e rosa
– Frutos: bergamota, limão e laranja

Bolsas de óleo essencial de lavanda (Lavandula angustifolia) encontrados em suas folhas

Bolsas de óleo essencial de hortelã-pimenta (Menta piperita) encontrados em suas folhas

Como são extraídos
Hoje, sabemos que existem os seguintes métodos:
– Destilação a vapor: ele consiste em ter um alambique com água e plantas (separadas), onde a água começa a ferver, evapora, passa pela planta e “carrega” consigo o óleo essencial. Esse vapor passa por uma câmara de resfriamento, para que volte a sua forma líquida novamente, sendo recolhido ao final a água e o óleo. Por esse método, não só os óleos essenciais são extraídos, mas o hidrossol (também conhecidos por hidroplanos ou água floral) também.
– Hidrodestilação: é o método mais antigo e mais simples ainda usado até hoje. A planta é colocada dentro de água fervente (como um chá) e a temperatura da água não pode exceder 100graus Celsius. Como na destilação a vapor, a água evapora e é condensada novamente, obtendo o óleo essencial.
– Solvente: quando a planta é muito delicada para ter seu óleo essencial extraído por outro método, usam-se compostos químicos para a extração, cujo produto final chamamos de concreto. Depois ele é misturado com álcool de cereais e, após a evaporação desse, tem-se o absoluto.
– Prensagem a frio: óleos essenciais contidos em frutas cítricas são obtidos através dessa técnica, que consiste em prensar os frutos de forma a retirar o óleo que está em sua casca e depois centrifugar para separa-lo do restante da fruta.
– CO2: esse é o método que, hoje, considera-se o que melhor jantem as propriedades da planta. Colocam-se as partes da planta que serão extraídas em um tanque, injeta-se CO2 em altíssima pressão e com temperatura controlada que age como solvente. Após a extração, a pressão diminui, o gás volta a sua forma original, não deixando traços de solvente no óleo essencial.
– Enfleurage: se você já assistiu o filme Perfume, A História de um Assassino (se não viu, veja!), vai lembrar que o personagem principal vai até Grasse e trabalha para uma empresa que faz extração de óleos essenciais para fabricação de perfume. Ele fica na frente de um quadro de madeira, cheio de gordura animal, colocando e tirando flores delicadamente durante o dia todo. Essa é a técnica de enfleurage. A gordura vai absorvendo o óleo essencial que está nas pétalas das flores e, depois que está saturada, é adicionado álcool de cereais, que se mistura com o óleo, mas não com a gordura. A partir daí, temos o absoluto.

Toda planta tem óleo essencial?
Na verdade, não. Um dos usos de óleos essenciais é na perfumaria, principalmente a de luxo. Já viu um perfume de luxo com cheiro de morango? Um Channel com aroma de abacaxi? Banana? Não, né?! Isso é porque o morango, a banana e o abacaxi, por exemplo, não produzem óleos aromáticos em seus frutos.

Onde são usados?
Hoje, óleos essenciais são usados amplamente em cosméticos, perfumaria de luxo e medicina complementar. A aromaterapia, como falei no artigo anterior, é a terapia que nasceu a partir da descoberta das propriedades curativas dos óleos.

No Brasil, se ainda não foi lançado nenhum perfume novo, temos hoje somente um perfume nacional feito em escala industrial que utiliza óleos essenciais: Lily, do O Boticário. Ele não tem concentração alta de óleo essencial, mas o suficiente para ser chamado de perfume.

Hoje, a prática de se fazer perfumes com óleos essenciais está bem segmentada e é considerado um mercado de nicho. Somente perfumistas e aromaterapeutas tem conhecimento e acesso a óleos essenciais para criar um perfume botânico natural, sem sintéticos, que é usado não só com a intenção de perfumar, mas também de trabalhar o campo emocional daquele que usa.
Experimente a Aromaterapia.

 

Saiba mais sobre aromaterapia no nosso post anterior.

 

2 comentários sobre “AROMATERAPIA | CONHECENDO OS ÓLEOS ESSENCIAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *