ENTENDA COMO A GULA AGE EM VOCÊ E LARGUE MÃO DESSE VÍCIO

Compulsão

ENTENDA COMO A GULA AGE EM VOCÊ E  LARGUE MÃO DESSE VÍCIO
POR SRI PREM BABA

Antes de começarmos a destrinchar esse tema, você precisa entender melhor o que é a gula e como ela se manifesta. Trata-se de uma matriz psicológica que tem necessidade voraz de preencher um vazio através de compulsões, sejam elas alimentares ou não, já que podemos considerar como gula outras compulsões como a fala, as compras, as drogas, a masturbação, a pornografia, o uso da internet entre muitas outras. Estamos falando de compulsões que quando estão em movimento geram um anestesiamento na pessoa, fazendo com que ela não sinta a dor do vazio que está buscando preencher.

Existe uma conexão entre a oralidade e o chakra básico. Os chakras são centros transformadores de energia que existem no corpo e, entre eles, existem doze principais, que se localizam desde a base da coluna até o alto da cabeça. Desses doze, sete são os mais conhecidos e estudados, devido a sua relação com as glândulas endócrinas. O chakra básico, por sua vez, é o chakra raiz e está ligado às gônadas, as glândulas sexuais e a oralidade. As compulsões, então, estão sempre ligadas à sexualidade e essa é uma chave importante a ser observada.

Muitas vezes, você está se sentindo bem em sua vida e não compreende porque determinada compulsão insiste em te pegar. A questão é que algum conteúdo sexual ainda não identificado está trancado no porão do seu inconsciente te levando a cair em determinado vício. Não costuma ser fácil fazer essa conexão, mas depois de muito estudo, talvez seja possível observar a relação da compulsão com a sua sexualidade, até porque isso é matemática, é físico e mecânico.

Se você ainda não percebe essa conexão, não se preocupe, mas tenha isso como uma pista, uma informação. Qual é a informação? Que tem algum conteúdo na sua sexualidade que não foi bem compreendido e que está se manifestado na forma da gula, das compulsões mais variadas. Guarde essa informação porque ela é valiosa.

Vou te ajudar a iniciar essa investigação a partir do que está mais próximo, mais acessível. Primeiro de tudo: você está lidando com um complexo autônomo, com uma entidade que tem autonomia e que quando se manifesta para você, no seu mundo interno, pode até criar uma forma. Outra informação importante, que já comentei aqui, é que ela está sempre a serviço de proteger alguma coisa, ou melhor dizendo, ela está protegendo um porão de sentimentos que você não se sente ainda pronto para olhar.

E não se condene por isso, porque existem conteúdos que podem ser vistos como verdadeiros monstros, mortos vivos, zumbis. Porões que guardam sentimentos tão mortificantes e aterrorizantes que você realmente não arrisca passar perto. Então, podemos observar a gula apenas como um sintoma que indica que você carrega sentimentos suprimidos que ainda não tem coragem de encarar de frente.

Nesse caso, talvez, você precise do suporte de um terapeuta que te ajude a atravessar isso. Existem alguns pontos no corpo que são verdadeiros cemitérios de mortos vivos, e por mortos vivos entenda memórias bem antigas. Outros pontos funcionam como portas entre os mundos superior e o inferior. Ainda, há o recurso da respiração, que também pode te ajudar a entrar nesse porão.

Enfim, existem caminhos que podem te conduzir a liberar essas dores negadas, mas se você está há tanto tempo lidando com isso e fazendo vista grossa, significa que está precisando de ajuda de alguém para segurar sua mão enquanto faz essa travessia.

Agora, dependendo de quanto tempo você passou servindo essa gula, mesmo após ter liberado os conteúdos desses porões, você ainda terá que lidar com um outro desafio, que é colocar limite nesse padrão. O que quero dizer é que de tanto servi-la, você criou uma rede neural no seu córtex que vai te levar para esse comportamento mesmo que você já tenha esvaziado o porão.

Nesse caso eu me refiro a um hábito desenvolvido e bem arraigado, que para superá-lo você terá que fazer uso da vontade. Quando a gula utilizar esse caminho para tentar te obsediar, você precisará dizer: “Chega! Quem manda nesse corpo aqui sou eu. Eu não vou dar mais comida para esse viciado dentro de mim”.

Nessa fase sua missão é segurar a espada da vontade e aguentar a crise de abstinência. Se você atravessar esse trecho do caminho, vai se surpreender com a ausência da compulsão e com a mudança na sua consciência. Vai ver que tudo se acalmará. Mas é claro que, de tempos em tempos, quando entrar em alguma turbulência, quando sua consciência se rebaixar devido aos desafios da vida, é bem possível que resvale nesses mesmos núcleos.

A boa notícia é que nesse caso você terá somente que ficar atento e sustentar a presença, sem precisar investigar conteúdo algum. São apenas pensamentos que acordam os fantasmas, mas como você já sabe do que se trata, porque já estudou seu mundo interno, terá somente que fazer o exercício de deixar os pensamentos passarem.

Para saber em qual estágio você está é simples: se tentar com todas suas forças deixar os pensamentos passarem mas sentir que mesmo assim eles continuam te dominando, a ponto de te fazer sentir impotente, é porque tem sentimentos negados a serem investigados. Nesse caso você estará tentando tratar apenas os sintomas.

Pode até ser que já tenha mapeado muita coisa, feito relações de causa e efeito, descoberto imagens, condicionamentos e crenças que por ventura tenham sido programadas e instaladas no seu sistema. Mas o fato é que se esse sintoma continua se manifestando com muita força é sinal de que tem sentimentos trancafiados no porão e você ainda não está maduro o suficiente para mergulhar nesse abismo dos sentimentos negados.

Porém, chega um momento na jornada em que você precisa pular nesse abismo, porque é só libertando esses sentimentos que vai poder se libertar dos sintomas. Isso não é para todos. É para as pessoas que estão nesse momento conscientes desses sintomas. Todas essas respostas encontram-se dentro de você. O primeiro passo para obtê-las é querer ver. Eu nunca disse que seria fácil, disse que era o único caminho. A verdade é o único caminho para se libertar do sofrimento, mas às vezes é desafiadora. Torço para que você tenha coragem para se mover nessa direção e conseguir enfim, largar suas compulsões e viver livre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *