O ROTEIRO DE NASCIMENTO E SUA VIDA

Renascimento

O ROTEIRO DE NASCIMENTO E SUA VIDA
Por Alexandre Nakandakari | Terapeuta de Renascimento e Coach

Você já parou para pensar porque repete alguns padrões comportamentais e emocionais? Já percebeu que algumas coisas que deram muito certo para você antes, hoje não resolvem mais seus desafios? Isso acontece porque você está repetindo seu primeiro padrão de vida, seu primeiro sucesso: o roteiro do seu nascimento.

Como falamos no post anterior, a primeira impressão que nós, enquanto bebês, tiramos desse mundo, é marcada no momento do nascimento. Quando respiramos pela primeira vez tiramos um “print” dessa experiência, isso fica gravado em nosso corpo e em nossa consciência.

O roteiro de nascimento começa na concepção. Você foi uma criança desejada, planejada? Ou simplesmente aconteceu? Ou ainda indesejada…ou em casos extremos de concepção violenta, por exemplo, um caso de estupro. Essas condições já influenciam o feto desde o início da gestação.

O período da gestação também é muito importante, e como já se sabe, a mãe passa para o bebê tudo que ela sente. Você sabe alguma coisa sobre a sua gestação? Como era a situação econômica da sua família? Seus pais se relacionavam bem ou não? Você foi gestado como menina ou menino?

E chega-se o momento do nascimento! O que você sabe sobre seu nascimento? Foi parto normal ou cesariana? Prematuro, na hora ou hipermaduro? Nasceu de nádegas ou com os pés? Com o cordão umbilical enrolado no pescoço? Foi rápido ou demorado? Esses são alguns exemplos de tipos de nascimentos que influenciam nossa vida por muitos anos.

O final do roteiro de nascimento vai até os primeiros meses de vida. Imagine todas as condições, todas as possibilidades e variáveis que o bebê enfrenta desde a concepção até os primeiros meses de vida…é muita coisa! Impossível passarmos impunes e achar que nada desse período afeta a personalidade do bebê.

Ser concebido, gestado, nascer e sobreviver aos primeiros meses de vida é o nosso primeiro sucesso! Desta forma, torna-se o nosso modelo de existência no mundo, o que nossa mente tentará repetir quando desejarmos algo ou passarmos por dificuldades. Em muitas ocasiões servirá perfeitamente, o problema é que o roteiro de nascimento também possui partes dolorosas e que, do mesmo modo, haverá uma tendência a repeti-las.

Um exemplo: eu fui gestado como menina, nasci menino. Senti a frustração dos meus pais, o que me gerou culpa. Passei muitos e muitos anos de minha vida tentando compensar essa frustração sendo o filho perfeito. Sempre buscava atender suas vontades, ou seja, negava as minhas próprias. Ao me tornar consciente disso mudei minha forma de relacionamento com meus pais, não virei um rebelde sem causa, mas me tornei muito mais consciente do que é meu, e do que é deles.

Tente se lembrar de algumas coisas sobre o seu roteiro de nascimento…se seus pais estão vivos, pergunte com delicadeza (muitas vezes mexer nesse assunto pode ser desconfortável para eles) … se não são, talvez tios ou outro parente próximo que possa dar algumas informações. E também sinta…medite e perceba suas sensações, a intuição é bem válida. Veja como essas informações refletem em sua vida hoje. É um exercício bem interessante!

Grande abraço!

Alexandre Nakandakari

3 comentários sobre “O ROTEIRO DE NASCIMENTO E SUA VIDA

  • Adoro tudo relacionado a respiração por isso que estou aqui.Desde os treze anos mais ou menos que tenho dispnéia crônica que pelo jeito bom de viver de meu pai dizia que isso era uma coisa que eu ia conviver para sempre.E foi assim.Estou hoje com sessenta anos e há dois anos atrás tive um susto pois acordei sem ar completamente sufocada.Estava com um pouco de muco na garganta,é verdade , e acho que isso propiciou o fato.Passou,fiz polissonografia,deu apnéia leve mas continuo sem solução e de vez em quando me ataca a dificuldade de respirar somente dormindo…

    Mas estou em busca e resolverei se Deus quiser e não tomarei um remédio que o neurologista passou pois sei que não resolverá e é quase irresponsável passar um remédio como esse.O remédio é Tofranil e minha mãe há mais de 24 anos precisou tomar esse remédio.

    Obrigada;
    Marta Ayres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *